Bolívar Escobar

Nasceu em Erechim, no Rio Grande do Sul. Mudou-se para Curitiba aos 17 anos, onde formou-se designer gráfico pela UFPR. Atualmente é mestrando no programa de pós-graduação em sistemas de informação na UFPR. Por volta de junho de 2014, morreu e foi substituído por um sósia. É possível encontrá-lo praticamente todos os dias através do twitter (@bolivarescobar).

A tragédia não existiria sem a comédia, a comédia não existiria sem o riso, o riso não existiria sem o choro e o choro não existiria sem o holerite

watchmenart-rorschachUm exercício filosófico que gosto muito consiste em brincar de inverter a lógica implícita em manchetes de notícias, sejam elas quais forem, buscando manter o sentido original do que é noticiado. Por exemplo, essa publicação de 2010 intitulada “Autoridades nos EUA revelam aumento no número de vigilantes mascarados no país”: por que a notícia não poderia ser “Autoridades nos EUA revelam diminuição no número de não-vigilantes mascarados no país”? Nesse caso, subentende-se que a vigilância mascarada é um fenômeno normal e que, num universo paralelo “X”, todas as pessoas possuem uma identidade secreta acima da lei e praticante da ideia de sair pela rua promovendo o Código de Hamurábi.

Da mesma forma, notícias que trazem informações como “número de prostitutas aumenta” ou “prostituição sobe em tal lugar” poderiam ser reescritas como “demanda por sexo descompromissado aumenta” ou algo tão estóico quanto isso. Obviamente, as notícias não são escritas assim. Elas são elaboradas de forma a zelar, mesmo que por entrelinhas, por um padrão de normalidade. Tal padrão vê-se, portanto, como abalado ou alterado por essas pequenas perturbações que merecem ser chamadas de “notícias”. (mais…)

Muito fantasma pra pouca ópera

jasmine_tridevilEm setembro do ano passado, uma notícia foi compartilhada exaustivamente pelas redes sociais da internet desse Brasilzão doido: a história de Jasmine Tridevil (?), a americana que supostamente implantou um terceiro seio para espantar homens e viver isolada sem parecer atraente para ninguém. O mais legal era o intuito dos compartilhamentos: geralmente, pessoas expressando o quanto acharam engraçada ou desagradável a atitude da moça, sem antes se perguntarem o básico, que é a primeira coisa que eu me pergunto até quando minha sogra aparece com uma sobremesa muito bonita depois do almoço no domingo: aquilo ali é verdade ou mentira?

Não demorou muito, os mythbusters de plantão surgiram com o veredicto: mentira, e das cabeludas. Jasmine inventou a história e tirou a foto usando um corpete de borracha com três seios porque, bem, hm, determinadas razões. Mas não há motivo para julgar as pessoas que acreditaram na história, ela poderia muito bem ser verídica. Não é difícil imaginar que hoje em dia, se alguém quiser realmente ter um terceiro ou talvez até um quarto mamilo, só o que precisa fazer é o seguinte: ir até o consultório de algum cirurgião plástico e largar um saco de dinheiro na mesa dele. (mais…)

Elegia às marchinhas de carnaval: quem corrompe os corruptores?

ih rapaz

ih rapaz

Os fãs fingem que não lembram e os não-fãs não lembram de fato, mas Justin Bieber foi preso no início desse ano por ter feito alguma besteira no Canadá. Talvez por ter dirigido bêbado ou dado vários socos em alguém, não importa: praticamente como uma versão em miniatura de um Raskólnhikov, o cantor teve que bater um papo com as autoridades e encarar o pesado sistema de regras de boa-conduta, tal e qual um legítimo cidadão de bem. Na época, a maioria das reações que vi à notícia foram de escárnio ou de repreensão, como se ele merecesse a pior das punições por ser um delinquente juvenil – embora, na minha opinião, ele já tenha feito coisas muito mais execráveis do que dirigir bêbado (música, por exemplo).

É claro que uma análise mais delicada do caso revelaria o verdadeiro drama de Justin. Chega um momento na vida de todo homem em que ele precisa se acostumar com o fato de que a cada novo dia, aquele rosto que aparece no espelho do banheiro tem uma testa um cada vez maior. Poderia ser visto como uma manifestação pessoal da passagem bíblica sobre Sansão, o juiz hebraico conhecido pela força sobre-humana – capaz de rasgar um leão jovem ao meio (o que raios o leão fez pra merecer isso, fica a cargo do leitor decidir) – e que foi responsável pela derrota de vários filisteus e outros povos indesejáveis até que um dia se apaixonou por uma mulher do povo inimigo que, claro, em uma bela manhã, deve ter se perguntado “em uma época sem Whey Protein, de onde sai tanta força?”, descobrindo assim que a origem do muque do Sansão eram seus longos cachos negros. Parabéns, metaleiros, ponto pra vocês nessa. (mais…)

A maior dificuldade do cínico é esconder dos outros a própria ideologia. A maior dificuldade do idealista, por outro lado, é continuar expondo o que pensa e jamais deixar transparecer a amargura do próprio cinismo

2711789618_7f6cee3778_oAconteceu: naquela fatídica tarde de outubro, a máquina do tempo apareceu, em meio a relâmpagos e trovoadas, no escritório da equipe de pesquisa e investigação do continuum espaço-tempo. Estupefatos, os cientistas largaram as canetas e pranchetas em cima da mesa e aproximaram-se lentamente do artefato, que ainda fumegava e disparava faíscas de uma antena em seu topo.

No fundo, o evento era esperado. Reza o paradoxo que, se houver alguma maneira de viajar no tempo, basta que esperemos até que um visitante do futuro apareça para nos ensinar a fórmula, visto que as condições tecnológicas serão muito mais avançadas. Perder tempo (!) com isso, hoje, é desnecessário: no futuro, teremos tempo (!!) e recursos para conduzir pesquisas mais eficazes e assim poderemos voltar no tempo (!!!) para ensinar os humanos do passado a viajar no tempo antes (!!!!) e assim ganhar mais tempo (!!!!!) ainda. (mais…)

01100100 01110101 01100001 01101100 01101001 01110011 01101101 01110011 00100000 01101111 01100110 00100000 01100101 01110110 01100101 01110010 01111001 01100100 01100001 01111001

persiamDecisões difíceis. Reza uma antiga lenda Persa* que, em uma das várias batalhas contra os povos médicos, o Rei Mücahit foi visitado por um mensageiro dos céus que lhe ofereceu uma barganha: deixaria o povo persa vencer a guerra, e em troca a mão de sua filha, a princesa Semiha, seria destinada a pertencer aos deuses, significando portanto que ela seria levada embora para os céus assim que a guerra terminasse. O Rei aceitou, porém, rápido como um camelo especial de corrida das dunas do leste, ordenou secretamente aos seus criados que amarrassem os pés da princesa com maciças correntes à mais pesada rocha que encontrassem no reino.

Dito e feito, ao retornar para casa, Mücahit deparou-se com a própria filha flutuando acima da rocha, como se fosse uma pandorga (ou pipa, ou papagaio, depende da região do Brasil na qual encontra-se o leitor). O mensageiro dos Deuses, enfurecido, amaldiçoou o Rei pela trapaça: jogou nele um feitiço que fadava Mücahit a ser vítima de um pesado dilema todos os dias pela manhã. Ao acordar, ele deveria decidir entre coisas horríveis, como ter que comer um prato de cocô humano ou passar um mês cego por dores de cabeça fortíssimas. Andar pela rua nu com um espanador de pó enfiado na bunda ou perder os polegares opositores. (mais…)

O homem mais velho do mundo é um polonês de 111 anos que mora nos EUA. Indagado sobre o segredo da sua longevidade, respondeu: “carne vermelha, cigarro de palha e sexo selvagem”. Admirados com a resposta, os pesquisadores perguntaram se ainda hoje ele mantinha tais afazeres inclusos em seus lides diários, mesmo com mais de um século de vida nas costas. “Não”, comentou. “A carne ficou muito cara”.

Stonehenge from the airPara explicar como funciona uma corrida de Fórmula 1, é necessário antes tentar explicar o conceito de tempo, já que ele é o principal fator a ser levado em conta na hora de ficar feliz ou triste no resultado de qualquer corrida.

Aqui por esses cantos da galáxia, a principal ferramenta para medir a quantidade de tempo que se passa é o número de voltas que nosso planeta dá em torno dele mesmo, e que ele dá em torno do sol, que é uma espécie de reator nuclear gigante que fica flutuando há 8 minutos na velocidade da luz daqui. Se a gente não pensar nessas duas coisas, ficaria difícil explicar o que é o tempo e teríamos que acabar fazendo como os povos antigos, que não tinham muita certeza de tais fatores e acabavam tendo que empilhar várias pedras grandes para descobrir se já tinha passado a hora do almoço ou não. “Hora” é o nome que se dá ao tempo que leva para assistir um episódio inteiro de um seriado como True Detective, por exemplo. (mais…)

Nenhum armário de remédios hoje está completo sem uma cartela de pílulas de subversão para manter funcionando nossas glândulas conspiratórias

6075387388_6514c84ca1_zA descoberta científica mais impressionante feita pelo Instituto de Pesquisa e Entendimento Absolutos (IPEA) dos últimos meses parte de um cruzamento de dados jamais imaginado pelas pessoas comuns do resto do país. O professor responsável pelo levantamento das entrevistas, o renomado p.H.D. Cleysson Mendes, satisfaz-se em um visível sorriso na hora de explicar os pormenores do procedimento, da detecção do problema à dedução de sua causa com base no método:

“2014 teve um primeiro semestre marcado pela formação dos famosos ‘grupos de justiceiros’ pelo país. Jovens que saíam pela rua à noite amarrando bandidos em postes e ensinando os criminosos a se comportarem como cidadãos ‘de bem’, metendo-lhes o cacete” comenta Cleysson, em entrevista ao Jornal Nacional. “Como os membros do instituto foram rápidos em perceber, um fato insólito desenrolou-se em paralelo. Veja, a edição de número 14 do Big Brother Brasil teve a menor audiência da história. No geral, as pessoas estão assistindo menos televisão, trocando o tempo gasto em frente ao aparelho televisivo pelo tempo gasto em frente a outros aparelhos: internet, celulares.”

(mais…)

Os interessados em salvar o mundo por favor, retirem uma senha no guichê e aguardem ao lado. Tenham em mãos uma cópia do RG autenticada e um texto de até 3 parágrafos com a sua definição clara do que de fato é esse mundo a ser salvo.

Mark T Simmons @ http://www.flickr.com/photos/marktsimmons/

Mark T Simmons @ Flickr

Senhora Neide, 64 anos, dona do único mercadinho do centro da cidade não-franqueado de alguma marca maior como Wal-Mart ou Carrefour e, por isso, um pouco menos frequentado, dada a baixa variedade de produtos disponíveis nas gôndolas e etc. Dona Neide, de acordo com seus últimos cálculos, estaria prestes a enfrentar a pior crise desde o temporal de 2008, que arrasou com metade do seu telhado e a fez despachar para o lixão todo o departamento de laticínios: as vendas estavam caindo. Seus clientes não se sentiam mais atraídos, passaram a avaliar seus preços como muito altos e a falta de um estacionamento grande era definitivamente o calcanhar de aquiles do pequeno mercado.

O que fazer? Neide, consternada, decide comentar sobre os cálculos e suas tabelas do excel com a família, em um churrasco de fim de semana. “Por que você não contrata um consultor, tia?” responde Renata, uma das sobrinhas, 22 anos, recém formada em publicidade. O que diabos é um consultor? “É um especialista em negócios. Ele vai visitar o seu mercado, fazer algumas perguntas e te dar umas ideias de como melhorar seus lucros!” Meu deus, como a senhora Neide não havia pensando nisso? Leia mais…»

As milhares de iniciativas bacanas que surgiram com o intuito de mudar o mundo de fato lograram êxito: agora vivemos em um novo mundo, cheio de iniciativas bacanas.

bicicletaFato interessante sobre o corpo humano & de outros animais: geralmente, o material que compõe essa máquina esquisita tende a se reorganizar caso algo saia errado. Por exemplo, vamos supor que eu caia no chão e faça o atrito entre esse meu corpo e o solo interromper uma viagem de bicicleta em média velocidade. É quase certeza que algumas áreas da minha superfície – que chamamos de “pele” – acabem se danificando ou que talvez até uma parte mais interna, como um osso, saia meio detonado também. Mas a natureza colocou na minha programação de máquina viva um algoritmo que faz com que esse dito corpo movimente uma força tarefa para consertar tudo de novo. O nome disso é “regeneração”.

Uma bicicleta é um veículo que usa a energia das pernas de uma pessoa para fazer ela chegar mais rapidamente do ponto A ao B. (mais…)

Enviei uma carta ao Vaticano sugerindo adicionar “pressa” como oitavo pecado capital. A demora deles em responder está me matando

Com licença, é aqui neste planeta que tem os famosos "churros"?

Com licença, é aqui neste planeta que tem os famosos “churros”?

Boa notícia: os extraterrestres finalmente apareceram para uma visita. Chegaram ontem, estacionaram a espaçonave em um terreno baldio na cidade de Erechim, no Rio Grande do Sul, e desceram em cinco acenando pro pessoal.

Má notícia: eles querem que alguém explique pra eles, precisamente, o que é “design”. Quatro chances, ou irão mandar explodir tudo.

A aparentemente absurda demanda dos nossos visitantes torna-se compreensível ao pararmos para analisar a história do povo do seu planeta em comparação à nossa. Embora jamais venhamos a entender a pronúncia do nome que eles disseram ter como raça, podemos chamá-los de habitantes do planeta Ç. Os Ç, ao que tudo indica, conseguem entender qualquer língua do nosso planeta, e conseguem se comunicar tal e qual por qualquer idioma através de um aparato altamente tecnológico que usam no topo de suas cabeças, em forma de mini-antena parabólica. Por isso o contato não foi muito difícil: logo que chegaram, foram servidos de uma boa cuia de chimarrão e apresentados aos demais seres humanos. (mais…)