Não Obstante #5 – Filosofia do Design, uma aposta pós-prometeica?

Olá designófilos!

Finalmente chegamos ao quinto episódio do Não Obstante, contando novamente com a apurada edição de Felipe Ayres e com uma aquarela de Marcos Beccari na vitrine.

Neste programa, Marcos Beccari conversa com Daniel B. Portugal sobre o artigo de Bruno Latour (2008) intitulado Um Prometeu cauteloso? Alguns passos rumo a uma filosofia do design (com especial atenção a Peter Slotedijk), recentemente traduzido pelo próprio Daniel B. Portugal, junto a Isabela Fraga (links abaixo). Resultante de uma palestra que o filósofo francês proferiu em um congresso de História do Design, este artigo traz a metáfora de um “prometeu cauteloso” como proposta para uma filosofia do design que, para o autor, teria o filósofo alemão Peter Sloterdijk como principal pensador. Seguindo tal proposta, Beccari e Daniel delineiam um modo de pensar o design que não se submete àquilo que tradicionalmente é considerado como útil, sério, profundo e necessário. Mais do que isso, discutem como o design pode estar associado à compreensão de que nossa existência é um artifício, que não existe uma natureza em oposição ao artificial, e que todas as questões ontológicas são na verdade hermenêuticas, ou seja, embalagens dentro de embalagens.

Faça download do episódio aqui
>> 0h17min11seg Pauta Principal
>> 1h30min58seg Música de encerramento: “LUX”, da banda Ez3kiel.

Links
PDF do artigo”Um Prometeu cauteloso? Alguns passos rumo a uma filosofia do design (com especial atenção a Peter Slotedijk)
O Prometeu cauteloso de Bruno Latour”, post do Daniel B. Portugal
Existe filosofia do design? Um debate em aberto
O guarda-chuva invisível de Duchamp”, post de Marcos Beccari 

nao_obstante_rodapeO Não Obstante é uma produção conjunta do Filosofia do Design e do Anticast.

Uma resposta

  1. Fernanda disse:

    Um adendo: o Dawkins não defende o design inteligente.

Deixe uma resposta


sete + = doze